quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Os brindes de Odivelas



O município de Odivelas é candidato a Cidade Europeia do Desporto em 2020 e para mostrar, desde já, que não tenciona poupar recursos decidiu gastar 10.200,00 € (+IVA) só para as t-shirts alusivas à candidatura. O respectivo procedimento de ajuste directo, datado de Julho, não faz referência à consulta a outras entidades e foi adjudicado a uma empresa a quem a autarquia já tinha comprado, dois meses antes, "t-shirts, bonés e pulseiras para a iniciativa "Férias de Verão/2018" pelo valor de 5.687,00 € (+IVA).

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

O que se passa no Banco de Portugal?



Como se pode ver na imagem supra (captada há horas), o Banco de Portugal não publica informação contratual acessível a todos no devido portal dos contratos públicos desde 3 de Agosto. O Má Despesa nem imagina o que andará a fazer a instituição conhecida pelo seu maravilhoso trabalho de supervisão do sistema bancário nacional. 

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

O que se passa na Administração Interna?



O Ministério da Administração Interna abriu um concurso público para “EPI's para a Investigação Criminal da GNR”. A acreditar na informação disponibilizada no portal Base apenas uma empresa concorreu apesar de se tratar de um contrato que vale 804 mil euros. Não era suposto haver mais empresas a concorrer? Como explicar a falta de interesse? Ou será que no MAI estão a ocultar informação relativa a outros candidatos, não a disponibilizando no Base? 




quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Administração Interna compra armamento de 348 mil por ajuste directo




A Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna decidiu comprar “armamento taser para a Guarda Nacional Republicana e Polícia de Segurança Pública”. Foram adquiridas 257 unidades. Pormenor: apesar de a compra ascender a 348.235 euros, a aquisição foi realizada por ajuste directo, sem consulta de mais nenhuma entidade.

Nota: imagem meramente ilustrativa

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Quanto custa o World Press Cartoon?



Para receber o evento World Press Cartoon, a Câmara Municipal das Caldas da Rainha pagou este ano 180 mil euros. Já no ano passado a autarquia tinha gasto exactamente o mesmo valor. O World Press Cartoon esteve antes instalado em Sintra. Nessa altura, a autarquia pagava, todos os anos, entre 233 mil euros e 150 mil euros.

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

As peças Vista Alegre da ANAC


A Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) gastou 11.314,44 euros em peças da Vista Alegre e Bordallo Pinheiro para oferecer aos participantes da GASeP - Regional Aviation Security Conference. Nota: imagem meramente ilustrativa. 

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Esta Junta paga viagens a Espanha

@ facebook da junta de freguesia

Mafamude e Vilar do Paraíso é uma freguesia do concelho de Vila Nova de Gaia que realizou o "passeio anual dos idosos 2018" até à vizinha Espanha. Santiago de Compostela foi o destino escolhido e a junta gastou  9.679,25 € (+IVA) em autocarros e 19.500,00 € (+IVA) em restauração. O Má Despesa descobriu que a autarquia de Vila Nova de Gaia também contribuiu com  um apoio de 10 mil euros para o passeio

segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Sabe quanto custam as PPP rodoviárias?




4.104.109,59€ – 4 milhões, 104 mil, 109 euros e 59 cêntimos constituem o custo diário das auto-estradas sujeitas ao regime de Parceria Público-Privada (PPP) em 2018. Segundo a associação Frente Cívica, "o valor actualizado dos activos associados às PPP é, segundo o Eurostat, de 5.5 mil milhões de euros e o Estado português prevê pagar aos concessionários ao longo dos próximos vinte anos mais de 18 mil milhões por este património, valor manifestamente exagerado face ao capital considerado". Perante este e outros factos, a associação lançou uma iniciativa legislativa de cidadãos a propor um projecto de Lei de extinção dos contratos de parceria público-privada no domínio rodoviário.

NB: Aqui encontra mais informação sobre as formas possíveis de subscrição da iniciativa legislativa. 

segunda-feira, 30 de julho de 2018

Banco de Portugal: Sai mais um ajuste milionário


O Má Despesa deu de caras com mais um ajuste directo milionário do Banco de Portugal (BdP), entidade sobejamente conhecida pelo seu trabalho de supervisão do sistema bancário nacional. Para a "empreitada de remodelação da central de segurança e proteção contra incêndio", o BdP decidiu dispensar a burocracia de um concurso público, pois claro, e adjudicou a obra directamente por  1.480.813,69 € (+IVA) a uma empresa- tendo consultado apenas uma outra. 

sexta-feira, 27 de julho de 2018

O que se passa com a CP?



No dia 13 de Julho demos o alerta. Há três meses que a CP não publicava qualquer contrato no portal Base. No dia 20 a CP decidiu sair da letargia, tendo desde então publicado sete contratos.

O mais recente diz respeito a um concurso público relativo ao “fornecimento e instalação de aparelhos de aquecimento, ventilação e ar condicionado (AVAC)”. No entanto, no Base não constam as empresas que participaram neste concurso. Como se não chegasse, o contrato com a empresa vencedora foi celebrado a 28 de Julho de 2017 e só agora, um ano depois, é que chega ao Base.



quarta-feira, 25 de julho de 2018

Assembleia da República não sabe publicar contratos



O contrato relativo à concessão de exploração do restaurante do Novo Edifício da Assembleia da República, no valor de 125,761 euros, foi publicado no portal Base. Por razões que só o Parlamento saberá, foi apenas publicada a primeira página do respectivo contrato. O que estará nas restantes páginas?


segunda-feira, 23 de julho de 2018

O atraso ardente da Póvoa de Varzim


Foi preciso decorrer um ano para o município da Póvoa de Varzim publicar o ajuste directo do fogo-de artifício das festas de S. Pedro de 2017 no valor de 61 mil euros (+IVA). 

sexta-feira, 20 de julho de 2018

Almada: Mais um almoço para alguns


Recentemente, o país ficou a saber que a autarquia de Almada trocou os relógios de ouro por vales de viagens para oferecer aos trabalhadores que cumprem 25 anos ao serviço do município. Hoje o Má Despesa descobriu que os mimos aos funcionários não se ficam por aí. No dia do município, a autarquia ofereceu almoço aos seus trabalhadores e a factura foi de 18.465,00 € (+IVA). O Tribunal de Contas já avisou que esta tipo de despesa não tem fundamento mas muitas autarquias portuguesas continuam a assobiar para o lado. 

quarta-feira, 18 de julho de 2018

O atraso do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa


O Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa demora mais de um ano a publicar no Base os contratos que realiza. Este ajuste directo relativo a produtos de higiene é apenas um exemplo. Encontra mais aqui.

segunda-feira, 16 de julho de 2018

O fadinho do AICEP em Budapeste


A força da cultura do uso de recursos públicos em beneficio próprio, ou de familiares e amigos, nas instituições portuguesas vai além fronteiras e desta vez o Má Despesa viajou até Budapeste, tendo mergulhado nos programas culturais da responsabilidade do AICEP, com o apoio do Camões, I.P. e da Embaixada de Portugal em Budapeste, realizados nos últimos anos. Curiosamente, constatou-se que a fadista Joana Amendoeira tem lugar cativo nas festas da capital húngara desde 1998, segundo afirmações da própria. A última actuação da fadista para os lados do Danúbio ocorreu em Fevereiro deste ano, a propósito do lançamento do livro de poesia de Joaquim Pimpão, director do AICEP em Budapeste (desde 1988) e tio de Joana Amendoeira. Segundo o Instituto Camões, a festa de lançamento do livro do director do AICEP  foi uma "iniciativa do AICEP, com o apoio do Camões, I.P. e da Embaixada de Portugal em Budapeste." Ou seja, o director do AICEP em Budapeste lançou o seu livro numa iniciativa da entidade pública que dirige, com o apoio de outras duas instituições públicas portuguesas, e contratou, mais uma vez, a sua sobrinha para actuar na festa.