quarta-feira, 29 de julho de 2015

Coimbra: Jobs for the boys

 
 
Falemos de mais uma obra à portuguesa -e de aspectos conexos. A obra de requalificação do Convento de S. Francisco, em Coimbra, foi lançada em 2010, com contornos megalómanos, e  tinha conclusão prevista para 2012, mas os trabalhos pararam devido a divergências entre autarquia e a construtora. No passado mês de Março, o jornal Público noticiava que "a Câmara Municipal de Coimbra e a empresa Ferreira Construção S.A. celebraram, no início da semana, um contrato no valor de 7,9 milhões euros com vista à conclusão dos trabalhos de transformação do Convento de São Francisco num Centro de Convenções e Espaço Cultural. O documento prevê que as obras estejam concluídas em 150 dias consecutivos, ou seja, cinco meses. A obra é financiada em 70% pelo Programa Operacional de Valorização do Território, sendo os restantes 30% suportados pelo município." E com tanto dinheiro em jogo já se sabe que a sua distribuição pode deixar muito a desejar como é o caso dos ajustes directos da autarquia de Coimbra à empresa de um dos membros da lista do PS às últimas autárquicas, ou seja, a lista do actual executivo municipal. Ora vejamos. Para serviços de "gestão e coordenação do projecto Convento S. Francisco", a autarquia fez dois ajustes directos à J.Aidos- Consultoria e Gestão de projectos, Lda. Em Maio de 2014 foi assinado o primeiro ajuste directo por 45.600,00 € (+IVA), pelo prazo de um ano, e este mês foi assinado e publicado outro ajuste directo com o mesmo prazo de execução mas com um valor bem superior: 74.800,00 € (+IVA). Manuel Machado, presidente do município, também é presidente da Associação Nacional de Municípios. Belo exemplo.  

2 comentários:

  1. Este país não tem conserto...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E a descarada, ja nem têm vergonha na cara.

      Eliminar